quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Distopia - Kate Willians

Oi amores, como falei em outro post, o blog foi selecionado para participar do Book Tour de Distopia, aqui vai a resenha dele. 


Livro: Distopia
Autor: Kate Willians
Editora: Arwen
Páginas: 318

SinopseEm uma sociedade governada por militantes, com um sistema incorruptível, as crianças são isoladas no regimento militar aos sete anos de idade e treinadas para serem soldados. Lá, eles aprendem da forma mais cruel a atirar e a matar, perdendo muito cedo a sua inocência. Depois da Grande Guerra, o mundo passou a ser dividido entre governantes e governados e cada um tem as suas dores, suas mágoas e limitações. E o que nos resta saber é: de qual lado você está? Porque no final das contas, não estamos vestidos para lutar... Assim como nunca estaremos vestidos para morrer...


Após a Grande Guerra os sobreviventes se juntaram e formaram um aliança formando assim quatro Regimentos e dividindo a sociedade em governantes que vivem dentro de uma cidade cercada por muros e os governados que vivem fora dos muros. Os governados quando completam sete anos de idade são obrigados a irem para a base do Regimento em que vivem e assim são treinados, lá aprendem a ler, a escrever, a lutar e a atirar, quando terminam esse treinamento elas escolhem qual profissão seguirão. Já os governantes homens começam a treinar mais tarde, mas eles não podem escolher que profissão irão seguir, pois já tem seus destinos traçados e assim são obrigados a governar. E as mulheres devem apenas se casar, mas com um governante.

Nessa sociedade, não importa o que você é, governante ou governado, não se pode falar sobre antes da Grande Guerra e nem contestar as regras do Regimento, mas muitos não concordam com isso. 

O livro narra simultaneamente a história de dois personagens: Thiago, um governado que está em treinamento, e Laura, uma governante filha do coronel do Regimento do Norte. Apesar dos dois serem o foco, alguns personagens secundários roubaram a cena como Enzo, instrutor de Thiago, um homem sofrido que parece ser um dos poucos que se importam com as crianças em treinamento. A história mostra como Thiago e Laura se tornaram o que são, mas isso fez com que a parte "distópica" da narrativa ficasse em segundo plano e que fosse lembrada apenas no final, e assim resolvida em algumas páginas. Além disso, o pensamento final de Laura me incomodou um pouco, não combinou com ela pensar aquilo, já que em todo livro se mostrou forte e um tanto altruísta.

O livro alterna entre o presente e acontecimentos passados, o que por um lado é interessante, pois ele conta apenas o que é de relevância do passado para o presente, e isso fez com que não desse vontade de parar de ler, mas por outro me senti perdida em alguns momentos, não sabia quando que estava acontecendo o que estava sendo narrado. Mas essa alternância do tempo também fez com que ficássemos mais próximos dos personagens, fazendo com que desse para entender por que eles agem de certa maneira.

Encontrei erros de concordância, algumas palavras de ligação faltando ou trocadas de lugar, mas nada que uma boa revisão não resolva.

É um bom livro com ação e romance, a autora conseguiu fazer com que me sentisse bem próxima aos personagens, com que desse para entende-los, mas não espere o que o nome promete, uma distopia, pois ela acabou ficando em segundo plano, mesmo assim estou curiosa para ler a continuação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário